A Cavalaria

knights1

Tudo bem jovem gafanhoto? Esperamos que sim. Ficou curioso para conhecer um pouco mais sobre a cavalaria no período medieval? Então vem com a gente!
Como é de praxe, o nosso gif do Twitter é de uma cena do filme Monty Python Em busca do cálice sagrado (1975) que mostra os nobres cavaleiros da tábula redonda, algo que em uma outra postagem, vamos abordar esses mitos de cavaleiros na idade média, mas, a cena faz uma alusão ao que vamos apresentar aqui para vocês, então, siga a leitura e vamos conhecer um pouco sobre A Cavalaria no medievo. 

É importante dizer que a Cavalaria na idade média não vai se caracterizar pelas pelo seu caráter militar profissional, mas ela vai ganhar outras facetas, e é isso que vamos mostrar aqui para vocês.

De início podemos dizer que ser cavaleiro não é era para qualquer. Ser cavaleiro entraria numa categoria para Reis, Príncipes e a nobreza que posteriormente irá controlar o acesso, então, o cavaleiro além de ser um guerreiro, também era um membro reconhecido pela aristocracia.
Entrando no aspecto militar, podemos falar das características do cavaleiro. Seu armamento era composto por um lança, espada para combate corpo a corpo, escudo com o brasão da casa, a loriga e a cota de malha que protege o seu corpo, o elmo e cônico para a proteção nasal, os cavalos de combates treinados e pelo menos um escudeiro que tinha o papel de cuidar das armas e dos cavalos do seu senhor. Há de salientar que, todos esses aparatos de luta, vão passar por modificações ao longo dos séculos XI até o século XIV e XV. Vão ganhar adaptações de celas, arreios, nas armas, na formação e na institucionalização da cavalaria.
A Cavalaria e igreja vão dar outra faceta para esses guerreiros no período medieval. Como já sabemos, o período medieval é marcado pela religião cristã e seus dogmas conduzem a forma de como as pessoas devem pensar e agir segundo as escrituras sagradas, sendo assim, a concepção é que neste período não pode haver violência e derramamento de sangue pois isso era contrário aos ensinamentos propostos por Jesus, e a cavalaria era um grupo de guerreiros que lutavam e guerreavam, usavam da violência, contudo, vai se criando justificativas para o uso da violência, da guerra e do derramamento de sangue. A defesa da terra santa, das relíquias sagradas, das igrejas, peregrinos e da cristandade como um todo, foi a justificativa para que a cavalaria pudesse guerrear e lutar para a defesa dos interesses da cristandade, ela servia tanto para resolver problemas internos como externos, ou seja, na luta contra o outro já citado na nossa postagem sobre os cruzados templários. Nesse momento a igreja começa a fazer parte da essência da formação do que teria sido a cavalaria. A igreja cria também o ideal de cavaleiro protetor dos inocentes, dos pobres, mulheres e dos fracos, um cavaleiro benevolente que defende os oprimidos e neles com feitos heroicos, o que fará de alguns serem cavaleiros errantes em busca de aventuras, algo que influenciará na criação dos romances de literatura.

Com o toque da igreja, e de sua ritualística, o adubamento será uma cerimônia de entrega de armas, ou seja, o jovem aprendiz que mostrou a sua capacidade, poderá se unir a seus companheiros de armas. Esse rito também significará uma passagem da adolescência para a fase adulta, e a cavalaria, vai conservar no seu interior reservando o acesso apenas aos filhos de seus membros. Nessa cerimônia são entregues as armas, noutras, dão lugar apenas as bênçãos e ressaltam os vínculos senhoriais e confiar a missão da cavalaria e serviço a igreja. O banho precede a cerimônia que será um simbolismo cristão que significa pureza. Cria-se nesse ritual o código de valores contido pela igreja, mas não é dela a sua originalidade. Há festejo e pompas que se ostentam nessa cerimônia, que ocasionavam despesas consideráveis, geralmente do filho mais velho.

Mas e aí, jovem cavaleiro Jedi, gostou de conhecer um pouco mais sobre A Cavalaria na idade média? Esperamos que sim. Não deixe de acompanhar o nosso Twitter e o site Maydievalbewithyou para conhecer um pouco sobre a idade média.

E você jovem cavaleiro… já está pensando em sair com a galera pelo mundo querendo “Sextar”?, então, chama a gente ora . Hahaha
UnrulyUnsightlyBoutu-size_restricted

Que medieval esteja com você!!!!

 

 

Referências:
FINE, A. Cavalaria. LE GOFF, J.; SCHMITT, JC. Dicionário Temático do Ocidente Medieval. v.1 p. 185-199.

Publicado por

maydievalbewithyou

Discente do curso de licenciatura em História pela UFRN/CERES, Caicó-RN. 2017.1

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s